Inclusão Produtiva

Projeto do Sebrae-SP leva empreendedorismo para comunidades carentes

São trabalhadas três frentes: fortalecimento de organizações comunitárias; fortalecimento local em inclusão produtiva e cooperativismo e associativismo

Eduardo Galvão é um dos fundadores e presidente da cooperativa Cooperlis, que faz um trabalho de reciclagem e reinserção de material na cadeia produtiva na região de Itanhaém. A cooperativa produz cerca de 40 toneladas de material reciclado por mês, e conta com cerca de 30 pessoas que trabalham de forma voluntária. Atualmente, a Cooperlis participa do projeto de inclusão produtiva do Sebrae-SP, o que, segundo Galvão, vai ajudar no crescimento da cooperativa. Para Galvão, a inclusão no projeto traz a possibilidade de ampliar o networking e aprender novas formas para a captação de recursos para o seu negócio. “Precisamos muito de capacitação e aprendizado. O Sebrae-SP está ouvindo todas as dificuldades para traçar um plano. E também está nos instruindo para conseguirmos sobreviver de maneira mais efetiva. Nossa principal dificuldade é que os recursos são muito escassos”, explica Galvão. O Sebrae-SP iniciou no ano passado o trabalho de inclusão produtiva para geração de emprego e renda de maneira estável e digna para as populações em situação de vulnerabilidade social.

De acordo com Beatriz Rennó, gestora que está à frente dos projetos realizados com as organizações sociais comunitárias no Sebrae-SP, o objetivo é usar no empreendedorismo para facilitar a superação de processos crônicos de exclusão social e contribuir assim com uma sociedade mais justa.

Para o trabalho de inclusão produtiva em todo o Estado, o Sebrae-SP trabalha com três frentes: fortalecimento de organizações comunitárias; fortalecimento local em inclusão produtiva e cooperativismo e associativismo. Para o fortalecimento de organizações comunitárias, Beatriz explica que a iniciativa veio do desejo de estar mais perto dessas comunidades. “Começamos quando sentimos o desejo de estar mais próximos das organizações que trabalham com pessoas em situação de vulnerabilidade. Para executar este projeto firmamos uma parceria com o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis)”, explica Beatriz. Atualmente o Sebrae-SP está com projeto piloto nas macrorregiões de Bauru, Vale do Ribeira, Alta Paulista e Pontal do Paranapanema.

O projeto possui cinco fases de desenvolvimento: planejamento; visita a campo; construção do plano de ação; planejamento do plano de ação; e implementação do projeto piloto. Outra organização que está participando do projeto é a Associação Wise Madness, que atende quase 600 jovens e adolescentes beneficiados por atividades de contraturno escolar e projetos culturais na região de Bauru. Anderson Mariano, cofundador e coordenador da associação, ressalta a importância da criação de uma rede de contatos local e as oportunidades geradas a partir daí. “Conheci diversos editais para fomento a projetos culturais graças ao grupo. Fomos vencedores em uma dessas seleções, com mais de 130 instituições inscritas. Teremos capacitação para avaliar nossos projetos, melhorar captação de recursos e o atendimento para os nossos assistidos”, ressalta.

Com as ações de inclusão produtiva, Beatriz ressalta que a perspectiva é gerar autonomia para essas redes de colaboração com engajamento na agenda de inclusão produtiva e empreendedorismo. “No Vale do Ribeira, por exemplo, as organizações que participam do projeto criaram uma identidade para a rede e uma página no Facebook para divulgar as organizações e os projetos que conduzem. Além disso, elas estão se mobilizando para propor um projeto coletivo de captação de recursos. Tudo isso contribui para o sentimento de pertencimento e colaboração”, explica.

O trabalho de Inclusão Produtiva que o Sebrae-SP realiza está pautado em três pilares:

Fortalecimento de Organizações Comunitárias: Objetivo é criar redes de colaboração entre organizações sociais que trabalham com pessoas em situação de vulnerabilidade para troca de experiência, desafios, conhecimentos, cooperação e busca conjunta por soluções. Visa também incentivar e engajar estas organizações para a agenda da inclusão produtiva via empreendedorismo.

Fortalecimento Local em Inclusão Produtiva: Composto por três soluções para fortalecer a atuação de técnicos, gestores públicos e atores locais estratégicos para o desenvolvimento local de projetos de Inclusão produtiva.

Cooperativismo e Associativismo: Série de soluções para incentivar e fortalecer o cooperativismo e o associativismo. Estes programas estão principalmente voltados aos setores da agricultura familiar e reciclagem.

Para saber mais, acesse http://bit.ly/inclusaosebrae ou mande sua dúvida para o e-mail inclusaoprodutiva@sebraesp.com.br