Dia do Empreendedor

Sebrae-SP foi às ruas para o mutirão ‘Valorize o Pequeno Negócio'

Ação ocorreu em todo o Brasil. No estado de São Paulo, mais de 130 cidades promoveram visitas ao comércio para conhecer de perto os principais desafios enfrentados no dia a dia dos micros e pequenos empresários

Nesta quinta-feira (3), o Sebrae promoveu em todo o país um mutirão de visitas a pequenas e médias empresas para celebrar o Dia da Micro e Pequena Empresa, que é em 5 de outubro. A ação teve como tema “Valorize o Pequeno Negócio”. As visitas tiveram o propósito de ouvir os empreendedores para entender seus principais desafios em relação à gestão de seus negócios e parabenizá-los pelo dia do empreendedor.

No Brasil, os pequenos negócios representam 99% do total de empresas privadas, ou seja, 14 milhões de empreendimentos. Esses negócios empregam 55% do total de trabalhadores com carteira assinada e são responsáveis por 27% do PIB. Os números mostram a força das micro e pequenas empresas (MPE) para o desenvolvimento econômico e social do país.

No estado de São Paulo a ação ocorreu em mais de 130 cidades com visitas a mais de 2.500 empresas. Na cidade de São Paulo, foram visitados estabelecimentos das regiões mais tradicionais de concentração de comércio e serviços como a área da Av. Paulista, da rua Augusta, da Av. Liberdade, da rua Direita e do Largo da Batata na região central; e o Largo Treze de Maio e Paraisópolis na região sul e Heliópolis na região sudeste.

O diretor-superintende do Sebrae-SP, Wilson Poit, participou das visitas nos comércios do Largo Treze de Maio, na região de Santo Amaro, zona sul da cidade de São Paulo, e conversou com os empresários locais, como Eduardo Zandonai, proprietário da Olho Vivo, que vende todo tipo de artigos para festas, e disse estar planejando modernizar e inovar sua loja. “É muito interessante o contato para nós do comércio com pessoas capacitadas como o Sebrae, precisamos desse apoio”, comentou Eduardo, que atua como empresário há 40 anos.

Eduardo, que tem 15 funcionários, também citou como maior desafio a qualificação e engajamento da equipe, mesmo desafio enfrentado pela Consolação Moreira Bandeira, gerente da loja de lingerie Nayane Rodrigues, que tem 10 pessoas na equipe e vê o encontro com o Sebrae como uma oportunidade de superar a questão. “Quanto mais informação, melhor para todo mundo”, diz Consolação.

Para a Vanda Aparecida Matias, de 42 anos, que possui um salão de beleza em sociedade com o marido Joel, além das questões burocráticas, para ela o desafio é no atendimento, que mesmo tendo muitos clientes fiéis, atravessando gerações, precisa estar sempre oferecendo o melhor. “Eu atendo como se eu estivesse sentada na cadeira”, contou Vanda, que se animou com a visita da equipe do Sebrae-SP. “É ótimo esse contato com o Sebrae, que está sempre tentando melhorar o comércio. A gente precisa desse incentivo. Tem muita gente fechando as portas por falta de conhecimento de gestão que muitas vezes o Sebrae oferece”.

Na área de comércio da Liberdade e da Praça da Sé, região central de São Paulo, o desafio mais citado foi a questão tributária. “São muitos impostos e é complicado como diluir isso nos custos da empresa sem repassar para os clientes e fazer um planejamento estratégico, principalmente nessa época de crise”, relatou Paulo Silva, que há oito anos se dedica ao restaurante de comida por quilo na rua da Glória.

Já Edson Barbosa, dono da marca de roupas esportivas e da loja Life Ed, na Praça da Sé, diz que empreende desde os nove anos, quando vendia panos na feira, e desde então já atuou com diferentes produtos até chegar a sua marca. O microempresário contou já ser cliente Sebrae, acompanhando as redes sociais, os materiais didáticos e as palestras promovidas pela instituição. “Muito bacana esse contato direto, tem um impacto muito motivador para mim”, diz ele, que agora quer se dedicar ao marketing digital para vender pelas redes sociais.

“Nada como o contato pessoal. Muita coisa que vimos aqui é muito valioso para o pessoal que faz atendimento no escritório; é legal andar, entrar nas lojas, isso muda o nosso dia a dia, e pode ajudar nesse momento, em que a gente quer modernizar o Sebrae e atualizar nosso portfólio de produtos e de cursos”, avalia Wilson Poit, diretor-superintendente do Sebrae-SP. Poit destaca ainda a variedade de estabelecimentos visitados e de desafios que cada empreendedor tem. “Ouvimos um pouco dos problemas. Para alguns é o peso do aluguel, para muita gente é a qualificação da equipe, outros têm outros problemas relacionados ao atendimento ao cliente, ou para gerenciar o fluxo de caixa. Por isso, é muito importante o pessoal do escritório estar gastando a sola do sapato, visitando aqui o comércio, para conversar com os micros e pequenos empreendedores, entender seus problemas, bater um papo, olhar nos olhos, apertar a mão. Foi um dia muito produtivo”, reforça o diretor.

Empreender é para todos

As celebrações do Dia da da Micro e Pequena Empresa continuam na Feira do Empreendedor, que será realizada de 5 a 8 de outubro, das 10h às 20h, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. A edição de 2019 tem como lema “Empreender é para todos”, com o objetivo de mostrar para o público que estar à frente de um negócio próprio não é um sonho distante. Pelo contrário, para transformar uma ideia ou uma oportunidade em uma empresa, basta se planejar e contar com o apoio de quem entende do assunto. A entrada é gratuita.

Serão mais de 500 expositores, espaços dedicados a diversos perfis de empreendedor e uma extensa programação de oficinas e palestras. Montada em um espaço de 45 mil metros², a feira espera receber 150 mil visitantes nos quatro dias de funcionamento.

Tags: Dia da Micro e Pequena Empresa, Feira do Empreendedor