Feira do Empreendedor 2020

Luiza Helena Trajano e Wilson Poit encerram a Feira do Empreendedor 2020

Bate papo marcou o fim da primeira versão online do maior evento de empreendedorismo da América Latina

O painel que encerrou a Feira do Empreendedor 2020 foi um bate papo entre o superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit, e a Luiza Helena Trajano, presidente do conselho do Magazine Luiza e presidente do Grupo Mulheres do Brasil, com o tema ‘reinvente seu negócio com novos canais de vendas digitais’. Luiza começou o painel relembrando a longa parceria entre ela e o Sebrae, que começou há cerca de 33 anos atrás.

Ao ser questionada por Poit sobre a mensagem que poderia deixar ao participar de diversos conteúdos voltados para auxiliar os empreendedores, Trajano comentou que buscou, logo no início da pandemia, estar mais próxima das pequenas e médias empresas. “Eu fiquei muito paralisada no começo, como todo mundo ficou, mas logo descobri que eu teria um papel de líder cidadã. A gente tinha que colocar a situação como algo de muito aprendizado. Uma coisa que eu falei para meu assessor de imprensa foi que apesar de nunca ter procurado a imprensa, dessa vez eu iria, porque precisava ajudar os pequenos negócios”, conta.

Wilson Poit compartilhou alguns dados do Sebrae de como a pandemia afetou os empreendedores do país. “Para os donos de pequenas empresas, essa pandemia causou um impacto muito grande. Em março e abril, o Sebrae mediu uma queda brutal no faturamento de cerca de 89% no primeiro mês. A saída que muitos encontraram foi voltar a vender pelos canais digitais”. Complementando o assunto, Luiza demonstrou a importância de entender as dimensões das vendas online. “No começo do ano, antes da pandemia, eu realizei uma série de lives sobre a transformação digital, em que falava que o digital não é uma plataforma e nem um aplicativo, é uma cultura. Tivemos diversos convidados que já estavam acostumados com essa cultura. Depois dessa série, eu achei que demoraria muito tempo para acontecer. De repente, com a pandemia, em 15 dias a gente entrou no digital”, disse.

Além disso, Trajano também aconselhou que os pequenos negócios que começarem a vender pela internet fiquem muito atentos a entrega dos produtos. “É preciso oferecer aquilo que se vai conseguir entregar. Caso não vá conseguir fazer isso, avise o cliente antecipadamente. O empreendedor pode entregar um dia antes, mas um dia depois já atrapalha”. Para quem trabalha na área de serviços, ela também deixou a dica de focar nos procedimentos de segurança para o bem-estar dos clientes.

Por fim, Luiza Helena Trajano falou um pouco do legado que ela gostaria de deixar. “O legado que eu gostaria de deixar é chamar a sociedade civil para fazer o Brasil que nós merecemos hoje, é transformar o País de hoje e não o de amanhã. Nós precisamos nos juntar. E gostaria também de convidar as mulheres, não importa se é uma empreendedora pequena ou grande, para entrar no Grupo Mulheres do Brasil”, finalizou ela.

 

 

Tags: Feira do Empreendedor, MEI