Empreendedorismo Feminino

A vida das mulheres em rede

Evento online discute os desafios do enfrentamento à violência doméstica e familiar

No dia 9 de março, a partir das 10 horas, o Ministério Público de São Paulo; a Prefeitura de São Paulo, por meio das Secretarias de Saúde, Assistência e Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e Cidadania; além do Sebrae e da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, se reúnem no evento A Vida das Mulheres em Rede para discutir os desafios do enfrentamento à violência doméstica e familiar, além de lançar material do projeto de Prevenção da Violência Doméstica com a Estratégia de Saúde da Família – PVDESF, instituído no município pela Lei n. 16.823/18, e regulamentado pelo Decreto n. 59.500/20.

A violência doméstica e familiar contra a mulher é considerada uma epidemia. Estima-se que as mulheres correm maior risco de sofrer estupro e violência doméstica do que câncer, acidentes de carro, guerra e malária. O Brasil é o 5º no ranking mundial de feminicídios, realidade agravada em meio a pandemia de covid-19.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a violência física e sexual é um problema de saúde pública que afeta mais de 1/3 de todas as mulheres do mundo. As consequências da violência para a saúde das mulheres podem ser diretas ou de longo prazo, acarretando danos variados, desde físicos, de ordem sexual e até problemas de saúde mental. Também afetam a economia e o trabalho, ensejando instabilidade laboral, subemprego e empobrecimento da mulher vitimizada.

A Lei Maria da Penha, considerada pela ONU a terceira melhor do mundo em relação ao enfrentamento da violência doméstica e familiar contra a mulher, destacou a importância de que o Poder Público deva providenciar mecanismos para proteger e assistir as mulheres, além de coibir e prevenir a violência doméstica, mediante atuação articulada e integrada.

Acompanhe este debate ao vivo pelo canal do Youtube do MPSP.